Má qualidade da educação é entrave para qualificação de trabalhadores

15 Agosto 2013 In Notícias
Avalie este item
(0 votos)
 Estudo feito pela CNI é ponto de partida do projeto Educação Para o Mundo do Trabalho Estudo feito pela CNI é ponto de partida do projeto Educação Para o Mundo do Trabalho Foto/Unicom

Cinquenta e dois por cento das empresas industriais em todo o Brasil afirmam que a má qualidade da educação básica é uma das principais dificuldades que enfrentam para qualificar sua mão-de-obra. É o que aponta o Relatório Global de Competitividade 2012/2013 levantado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Além desta conclusão, o estudo também aponta que 94% das empresas que enfrentam a falta de trabalhador qualificado têm dificuldade para encontrar operadores para a produção e afirmam que o problema prejudica o aumento da competitividade.

Em virtude disso, a CNI irá lançar, em outubro, o projeto Educação para o Mundo do Trabalho, que estará pautado em um conjunto de ações a fim de reduzir a defasagem educacional a curto prazo, para três grupos da população: jovens entre 18 e 24 anos que estão no ensino médio, jovens entre 18 e 24 anos que não estudam e nem trabalham, e trabalhadores da indústria que não possuem ensino médio. Para isso, a instituição, com apoio das Federações de Indústrias de todos os estados, realiza, durante todo o mês de agosto, reuniões estaduais para mobilizar empresários, governos, organizações não governamentais, jovens e pais a aderirem à iniciativa e colher propostas para o projeto nacional.

Assim, este público-alvo, bem como representantes das instituições que compõem o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), atendeu ao chamado e participou ativamente do workshop Educação para o Mundo do Trabalho, realizado na manhã dessa quinta-feira, 15 de agosto, na Sala de Reuniões da Casa da Indústria. Durante o evento – comandado pelo diretor regional do SENAI/AC, João César Dotto, e pela diretora de Educação e Tecnologia da mesma instituição, Geane Reis de Farias –, o palestrante e professor Francisco Aparecido Cordão, que é conselheiro do Conselho Nacional de Educação, apresentou todos os resultados da pesquisa e explicou como é a dinâmica do projeto.

AGENDA – A ideia é desenvolver ações que apresentem resultados de curto prazo, em ciclos de 12 e 24 meses, prevendo caminhos para a melhoria do desempenho dos jovens e dos trabalhadores em língua portuguesa e matemática, por exemplo. Para se ter uma ideia do contexto em que o Brasil se encontra, o Relatório aponta que o país ocupa a 126ª posição entre 144 países em termos de qualidade na educação pública. Está no 57º lugar em qualidade na educação superior e na 113ª posição na formação de engenheiros e cientistas.

Para o presidente do Sistema FIEAC, empresário Carlos Takashi Sasai, é evidente que, nesse cenário, ganhos significativos na competitividade ficam prejudicados. "Para que possamos ocupar posições de maior destaque no cenário mundial, é necessário construirmos coletivamente uma agenda de educação voltada para o mundo do trabalho. O objetivo é formular ações eminentemente práticas, em favor de uma educação de qualidade, que ofereça aos jovens insumos indispensáveis ao desenvolvimento pessoal formando cidadãos e agentes produtivos", destacou.

"É fundamental a união de todos neste grande esforço nacional para a educação para o mundo do trabalho, para o desenvolvimento pessoal, o exercício da cidadania e a qualificação para o trabalho. O nível educacional da população é um dos principais fatores que estimulam e entravam a modernização e a competitividade dos setores econômicos", argumentou Cordão.

Após a palestra, todos os presentes se reuniram em grupo para criar propostas que serão consolidadas pela CNI no lançamento nacional, em outubro. "O Acre é um Estado que pretende fazer constituir seu futuro na ideia da sustentabilidade, portanto, pode perfeitamente ajudar a construir essa agenda proposta pela CNI. Sabemos que instituições como o Sistema FIEAC são incansáveis nessa luta e nós estamos sempre lado a lado", elogiou Íris Célia Cabanellas, presidente do Conselho Estadual de Educação. "Nós, da Secretaria Estadual de Educação (SEE), queremos parabenizar esta iniciativa e nos colocamos, também, à disposição para fazer com que essa agenda chegue, de fato, às escolas", garantiu Josenir Calixto, diretor de Ensino da SEE.

Ler 798 vezes

EMPRESAS


ACESSO RESTRITO


Intranet

ENDEREÇO


FIEAC
Avenida Ceará, 3727 - 7º BEC - CEP: 69918-108, Rio Branco, Acre - Fone: (0xx68) 3212-4200
UNIDADE INTEGRADA
DO SISTEMA FIEAC NO JURUÁ

Rua Afonso Pena, Nº 910, Bairro AABB - CEP 69980-000 - Cruzeiro do Sul - Acre - PABX (68) 3322-6597

logo iso nova


Você está aqui: Pagina Principal IMPRENSA Noticias Má qualidade da educação é entrave para qualificação de trabalhadores